Escolha uma Página

Você já parou pra pensar como as novas tecnologias se desenvolvem cada vez mais rápido?
E claro que o e-commerce nesse cenário não iria ficar de fora. Por isso, trouxemos dez tendências que já estão invadindo o modo de fazer negócio.
Então, fique ligado e confira as nossa lista.

1 – Omnichannel
O mercado nacional ainda está se adaptando a ideia de omnichannnel, que integra diversos canais e acessos e possibilita o consumidor a participar mais ativamente de sua jornada de compra. E é esse o objetivo e o que todo comprador quer, ter menos barreiras para realizar sua compra, portanto quem apostar nesta tendência estará à frente da concorrência. Um estudo realizado pela Deloitte mostrou que os clientes que transitam entre os canais gastam 82% a mais do que aqueles que utilizam tradicionalmente apenas um ponto de contato. Por isso, a integração entre os ambientes físicos e virtuais deve se popularizar a cada ano que passa.

2 – Crossdocking e Dropshipping
Esses mecanismos de logística para e-commerce já é atuante no mercado e vem ganhando força. Os sistemas proporcionam uma melhor experiência para o cliente e uma série de vantagens ao lojista. Em ambos não há necessidade de possuir estoque prévio, diminuindo os custos significativamente. A diferença entre os dois é que no Crossdocking a loja recebe o produto do fornecedor e realiza a postagem e entrega, já no Dropshipping, o fornecedor é responsável pela entrega final. Nesses sistemas é importante ter condições para cumprir todos os processos de forma eficiente e pontual, para não perder credibilidade e consequentemente sua rentabilidade e ter um bom relacionamento com os fornecedores, a fim de otimizar a logística de venda.

3 – M-commerce
Hoje mais da metade dos acessos a internet é através do celular, logo existe um comportamento do consumidor diferente, as compras pelo smartphones. Em 2019, projeções indicam que, ao redor do mundo, as compras por meio do telefone irão sobrepor as via desktop. No entanto alguns pontos nesse novo cenário precisam serem levados em consideração. O brasileiro é um povo muito mais desconfiado que em outros países, então é importante ter um sistema claro, rápido e intuitivo, para que seu consumidor não desista no meio da compra e abandone o carrinho, por exemplo. Por isso, você precisa estar preparado para o volume de vendas via celular que você pode ter. Lembre-se que quanto melhor você receber os consumidores na plataforma que eles escolherem, melhor será a resposta deles às suas tentativas de venda.

4- Crescimento dos Marktplaces
O estudo “Panorama dos Marketplaces no Brasil”, realizado pela Precifica, mostra que o número de lojistas que atuam em shoppings virtuais, como Walmart, Americanas e Extra, passou de 7,4 mil em setembro de 2017 para 14,2 mil em setembro de 2018, um crescimento de 90,7%. Considerando que 61% desses vendedores operam em marketplaces há menos de um ano, os marketplaces ainda têm muito espaço para crescer. Se você não sabe, aí está: marketplace é um portal voltado para a venda online, para o e-commerce., ou seja, a forma da compra são idênticas aos de loja virtual, porém, há vantagens de visibilidade, custos reduzidos, maior retorno e diversidade de público.

5- Realidade virtual e aumentada
Quem não fica com dúvida na hora de comprar algum produto? Se irá combinar com a casa ou irá caber em determinado espaço?
Algumas lojas já oferecem essa experiência por meio de simuladores, onde o cliente pode personalizar uma roupa ou sapato que será confeccionado sob medida, inserir cor em paredes ou aplicar móveis para ver como o espaço irá ficar e realizar sua compra mais tranquilo. Uma empresa brasileira de turismo já oferece o AR, para que os clientes experimentem virtualmente como será sua viagem desde o momento do embarque até a chegada ao aeroporto, o seu quarto de hotel e os passeios que irão realizar. Algumas empresas brasileiras já utilizam desse mecanismo para inserir seus clientes na realidade virtual, simulando o mesmo a passear por lugares turísticos, por exemplo, e ter a sensação de estar, de fato, naquele local. Realidade Virtual (AI) e a combinação com a capacidade dos sistemas de aprender com o comportamento do cliente irão criar uma experiência de personalização perfeita.

6- App para loja
Diferentemente de um site — que também é imprescindível —, aplicativos se tornarão mais comuns para simplificar as aquisições dos consumidores. Uma das vantagens de ter um app próprio é que a navegação dentro dele costuma
ser mais rápida. No entanto, como já referido acima, o primordial é implementar essa estratégia a partir do conceito de omnichannel, a fim de melhorar o sucesso do negócio.

7- Chatbots
Chatbots é parte padrão do kit de ferramentas de comércio eletrônico. Os chatbots estão mudando a experiência do consumidor de e-commerce para melhor, e isso só continuará em 2019. Eles removem um monte de atrito da jornada padrão do cliente, e é por isso que 48% dos consumidores preferem se conectar a uma empresa via chat ao vivo do que qualquer outro meio de contato de acordo com a Hubspot, e 35% dos consumidores querem ver mais empresas usando chatbots segundo a Ubisend. Agora é um bom momento para investir em um construtor de chatbot ou em uma agência que possa ajudá-lo a criar um chatbot personalizado para gerar engajamento, vendas e melhor suporte ao cliente.

8- Crescimento no uso de vídeos
Uma pesquisa feita pela Wyzowl aponta que 81% das empresas usaram vídeos para fins de marketing em 2018, comparado a 63% em 2017. O estudo indica ainda que um usuário assiste, em média, a uma hora e meia de vídeo por dia, enquanto 81% dos consumidores compraram um produto depois de assistir a um deles. De acordo com os dados, o crescimento para o uso de vídeos é significativo e o resultado são as conversões. Os brasileiros, em especial, consomem mais vídeos online atualmente do que outras plataformas. De acordo com os dados da pesquisa do Instituto Provokers, feita em parceria com o Google Brasil e o YouTube, 56% da população prefere ver vídeos online, um aumento de 90% nos últimos três anos. Uma ótima ferramenta para conquistar clientes.

9- Compra por voz
Você já utilizou o mecanismo de busca por voz? Provavelmente, pelo menos uma vez você já deve ter utilizado. De acordo com a eMarketer, em 2017, 35,6 milhões de americanos usaram um dispositivo ativado por voz pelo menos uma vez por mês – um aumento de 128,9% em relação a 2016. Uma das apostas de crescimentos para os próximos anos. As compras por pesquisa por voz começaram a fazer cada vez mais parte da rotina, para facilitar a experiência dos consumidores. Além disso, essa opção tem a vantagem de prezar por uma sociedade mais inclusiva, garantindo maior acessibilidade às pessoas com deficiência visual. Utilidades como essa agregam valor à imagem da marca, ao mesmo tempo em que fornece mais poder e velocidade de compra. A popularização dos assistentes virtuais como o Alexa da Amazon, a SIRI e Homepod da Apple, Google’s Home, por exemplo, também trarão implicações. Assim, as marcas de comércio eletrônico terão a tarefa de migrar para esses novos canais, a fim de proporcionar uma melhor experiência ao cliente e se manter atualizado e ativo no mercado.

10- Entrega no mesmo dia
Isso tem se tornado um grande diferencial competitivo para os e-commerces. Apesar de agradar os clientes, é uma ação que exige um novo pensamento logístico, como a descentralização dos Centros de Distribuição (CDs). Isso significa passar a utilizar diversos estoques menores (que podem ser as lojas físicas de uma rede), localizados em regiões estratégicas. Assim, é possível manter os produtos mais próximos do cliente final, reduzindo o tempo de transporte.

Gostou das tendências? Então prepare seu e-commerce para fazer sucesso em 2019.
Quer iniciar um projeto? Nós podemos te ajudar.
Entre em contato conosco!

1
Olá, se você tem uma grande ideia, podemos te ajudar!
Vamos conversar?

Clique novamente no ícone.
Powered by